O que é o mal de Alzheimer?

O que é o mal de Alzheimer?

A doença de Alzheimer é considerada a principal causa de demência no mundo todo. Ela é uma patologia degenerativa, que deteriora as funções cerebrais, levando o paciente à uma perda de memória, da linguagem, da razão e da habilidade do indivíduo cuidar de si próprio.

Nesta doença, ocorre a deposição, em algumas áreas do cérebro, de placas de proteína, que são chamadas de amiloides ou senis. São estas proteínas que prejudicam a função cerebral e levam à destruição das regiões afetadas. Ao decorrer da doença, são observadas alterações estruturais nas células do sistema nervoso, os neurônios, levando à diminuição na produção de neurotransmissores, ou seja, de substâncias químicas que são produzidas pelos neurônios e muito importantes para o desenvolvimento de algumas funções cerebrais. Tendo como exemplo, a acetilcolina, um neurotransmissor que participa das processos de aprendizado e memória.

O Alzheimer está fortemente relacionado ao envelhecimento da população. Ela soma 100 mil novos casos a cada ano, apenas no Brasil, principalmente em pessoas com mais de 65 anos.

A medicina ainda não sabe o que realmente causa a patologia, embora sabemos que o processo de perda de células é recorrente. Mas, o que se sabe, é que existe uma forte relação com a idade, ou seja, mesmo tendo uma idade mínima de recorrência da doença, quanto mais idoso, maior a chance de desenvolver o Alzheimer.

Atualmente, para a prevenção da doença, pode-se atuar em cinco áreas que terão um efeito maior se realizadas conjuntamente, e principalmente, mais eficazes se iniciadas precocemente:
  • Atividade física apropriada para a idade
  • Alimentação balanceada e com alimentos naturais
  • Prevenção de fatores de risco vascular, como o controle do diabetes, hipertensão, dislipidemias.
  • Atividade intelectual, como testes, exercícios mentais, manutenção atividade profissional, programa de reabilitação cognitiva.
  • Preservação das relações sociais e familiares

Ainda não existe remédios ou procedimentos definitivos, contudo, a medicina está evoluindo rapidamente na busca dos melhores recursos para tratar e prevenir o Alzheimer.

Desde o início dos sintomas, como o esquecimento, até um comprometimento mais grave, podem passar de 10 a 15 anos. A doença de Alzheimer em si não leva à morte, mas sim a complicações decorrentes do comprometimento de diversas funções.

Referências

https://www.einstein.br/doencas-sintomas/alzheimer

http://www.fleury.com.br/saude-em-dia/dicionarios/doencas/pages/doenca-de-alzheimer.aspx

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
WhatsApp Fale pelo WhatsApp