Bem Vindo ao CRM Líquor


  Telefone : São Paulo : +55 11 2373 3352 | Brasília : +55 61 3550-1660

Lista de Exames

Confira abaixo nossa Lista de Exames, clique na letra correspondente ao Exame:


ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


A

Adenovírus

Aplicação: Os Adenovírus fazem parte de um grupo de vírus que são muito frequentes no genoma de DNA duplo (dupla hélice) que sobrevivem por longos períodos fora do hospedeiro. Não possuem envelope bilipídico e são extremamente resistentes. Há 52 sorotipos e a infecção por um sorotipo não dá imunidade contra os outros.
A transmissão ocorre por inoculação direta na conjuntiva, oral-fecal, gotículas ou exposição ao tecido ou sangue contaminado. O vírus é capaz de infectar diversos sistemas orgânicos; entretanto, a maioria das infeccções é assintomática. Este patógeno coloniza a faringe de crianças assintomáticas e muitos adultos possuem títulos de anticorpos contra adenovírus, indicando infecção prévia.
O adenovírus pode provocar uma das grandes síndromes a seguir: doença respiratória aguda, febre faringoconjuntival, ceratoconjuntivite epidêmica, cistite hemorrágica aguda, gastroenterite e infeccções adenovirais em imunossuprimidos.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2mL.
Preparo do Paciente: Não é necessário jejum.
Observações: Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
Armazenamento: Congelado (-20°C).
Estabilidade: 07 dias.
Método: Biologia Molecular – Nested PCR.
Prazo de entrega: 16 dias úteis.


Adenosina Deaminase

Aplicação: ADA é uma enzima que catalisa a conversão da adenosina e inosina, participando do processo de diferenciação e proliferação de linfócitos. Níveis elevados da ADA são indicadores indiretos de tuberculose meníngea, pericárdica e peritoneal. No líquido pleural tem sensibilidade de 99% para diagnóstico de tuberculose; No líquor tem sensibilidade de 90% e especificidade de 94%; No líquido pericárdico tem sensibilidade de 99% e especificidade de 83%; No líquido ascítico tem sensibilidade de 95% e especificidade de 96%; A dosagem da ADA no soro não tem valor diagnóstico. Resultados falso-negativos podem ocorrer em pacientes com AIDS. Níveis elevados também podem ser encontrados em infecções bacterianas, criptocóccicas e neoplasias. Esta dosagem não substitui a biópsia no diagnóstico de tuberculose.

Material: Líquor.
Método: Bioquímica – Enzimático.
Volume da amostra: 1 mL.
Prazo de entrega: 5 dias úteis.


Albumina

Aplicação: A dosagem da albumina no líquor possibilita a avaliação da integridade da barreira hematoencefálica.
A determinação concomitante dos teores de albumina e de imunoglobulinas no soro e no líquor permite esclarecer se os anticorpos contra um determinado antígeno, presentes no líquido cefalorraquidiano, indicam a síntese intratecal ou apenas a passagem passiva pela barreira hematoencefálica.

Material: Líquor.
Método: Bioquímica – Colorimétrico.
Prazo de entrega: 5 dias úteis.


Aspectos Físicos e Cor do LCR

Aplicação: Por ocasião da colheita da amostra, o aspecto (limpidez) e a cor são macroscopicamente avaliados em conjunto para verificar se o LCR é:
· Límpido e incolor – aspecto e cor do LCR normal (água de rocha).
· Límpido e xantocrômico – quando ocorre a principal alteração da cor do LCR, a xantocromia.
· Turvo – alteração que diz respeito ao aspecto do LCR: levemente turvo, turvo, fortemente turvo ou, purulento.
· Hemorrágico – aspecto e cor de amostra hemorrágica; dependendo da intensidade, o LCR é: levemente hemorrágico, hemorrágico ou fortemente hemorrágico.

Aspecto: Avaliação do grau de transparência da amostra sendo o aspecto límpido normal. Alguns aspectos freqüentemente encontrados e relacionados a doenças são o hemorrágico, turvo, purulento, entre outros. Os tipos de alterações estão relacionados ao tipo de elemento físico em suspensão na amostra (células, eritrócitos, bactérias, fungos, etc.). Cor: o líquor de um adulto é incolor. Para avaliação macroscópica da cor é necessário que a mostra mostre-se completamente límpida. Amostras que ao serem colhidas mostrem alterações em seu aspecto terão sua cor avaliada após uma fase de centrifugação. A alteração de cor mais comum é a xantocromia (cor amarela) relacionada à elevação de taxas de proteínas, processos hemorrágicos anteriores, bloqueios do canal raqueano, presença de pigmentos como a bilirrubina ou de pigmentos produzidos por agentes infeciosos como as bactérias. Outra alteração marcante é a eritrocromia, causada pela presença de hemoglobina ainda não metabolisada.
Método: Citologia.


Alfa Fetoproteína

Aplicação: O exame pode ser útil na investigação da presença de tumores produtores de Alfafetoproteínas no sistema nervoso central.

Material: Líquor.
Método: Marcadores Tumorais – Quimioluminescência.
Prazo de entrega: 2 dias úteis.


Aminoácidos, Quantitativo

Aplicação: A dosagem de aminoácidos no líquido cefalorraquidiano (LCR) é útil para o diagnóstico de determinados erros inatos do metabolismo que cursam com alteração do teor de aminoácidos no LCR, sendo o exame confirmatório dessas condições.
– Entre elas está a hiperglicinemia não-cetótica, na qual há elevação da glicina no LCR. Recomenda-se, diante de tal suspeita, a dosagem simultânea de glicina no plasma e no LCR. Uma relação plasma/LCR superior a 0,08 é sugestiva dessa condição. A forma de apresentação neonatal se caracteriza por crises epilépticas refratárias à medicação e com grande comprometimento da atividade. Existem formas de início mais tardio, em que a manifestação principal é a epilepsia.
– O exame também contribui para o diagnóstico da deficiência de 3-fosfoglicerato desidrogenase, um defeito de síntese da serina que cursa com níveis baixos de serina, no LCR, e algumas vezes de glicina. A clínica é caracterizada por convulsões de início precoce, microcefalia e retardo do desenvolvimento neuropsicomotor.
– Em algumas situações, a elevação de certos aminoácidos pode sugerir o desarranjo de determinada via metabólica. É o que ocorre com o aumento da alanina, comum em acidemias lácticas, e da glutamina, freqüente nos erros inatos que envolvem o ciclo da uréia.

Material: Líquor.
Atenção:
– Para esse exame é necessário informar a idade do cliente.
– As amostras precisam ser colhidas em frasco estéril, devendo ser mantidas refrigeradas.
– O material de líquor dever ter sido colhido no máximo até 48 horas antes do envio e mantido em ambiente refrigerado.
Interferentes:
– Material contaminado com hemácias ou exposto ao calor.
– Enviar ao laboratório 1 mL de líquor em tubo estéril.
– Enviar congelado.
Método: Marcadores Tumorais – Cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas.
Prazo de Entrega: 22 dias corridos


Antígeno Carcinoembriônico

Aplicação: O antígeno carcinoembrionário (CEA) e uma glicoproteína que não e órgão especifica. Níveis elevados são encontrados em vários tumores, mas sua maior aplicação e no cancer coloretal. Níveis mais elevados são encontrados no cancer coloretal com metastases ósseas e epáticas. Outras neoplasias podem cursar com níveis elevados de CEA: cancer de mama, pulmão, vário, estômago, pancreas, útero, tireóide e tumores de cabeça e pescoço. CEA não deve ser tilizado como ferramenta para triagem de cancer em pacientes normais. Cirurgia, quimioterapia e radioterapia podem causar aumentos transitório do CEA.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2 mL.
Armazenamento: Até 4 dias refrigerado entre 2 e 8 °C.
Critérios de Rejeição: Amostra com contaminação bacteriana.
Método: Marcadores Tumorais – Quimioluminescência.
Prazo de entrega: 5 dias úteis

B

Biomarcadores na Doença de Alzheimer


Proteína beta amilóide, Proteína tau fosforilada, Proteína tau, Proteína ptau, Proteína amilóide 1-42
Aplicação:
– Diagnóstico precoce da Doença de Alzheimer (DA)
– Diagnóstico diferencial entre DA e doença de Creutzfekd-Jakob
– Diagnóstico diferencial entre DA e demência frontotemporal, DA e demência por corpúsculos de Lewy e DA e demência vascular.
Os valores em conjunto da proteína beta amilóide e proteína tau, permitem discriminar a doença de Alzheimer de outras doenças patológicas. Estima-se que em torno de 10% dos indivíduos acima de 65 anos tenham a doença de Alzheimer e esta frequência aumenta a medida que a pessoa envelhece. O exame no líquor (LCR) mostra aumento dos teores de proteína tau e sua forma hiperfosforilada, fosfo-tau. A proteína tau presente no interior dos neurônios, pode também, estar elevada em outros processos neurodegenerativos, acidente vascular cerebral e quadros encefalíticos infecciosos, sendo a forma fosfo-tau a mais específicas dos emaranhados neurofibrilares e das placas senis, características anátomo patológicas da doenças de Alzheimer. Também é observada, na doença de Alzheimer, a diminuição dos teores de AB 42. Estudo prospectivo recente mostra que o aumento da proteína tau associado a diminuição de AB 42 tem um alto valor preditivo para doença de Alzheimer. Pode-se também observar o aumentos dos níveis de marcadores do stress oxidativo, como 8 hicroxiguanina (8hg) e da proteína AD7c.

Material: Líquor.
Volume: 4 mL.
Armazenamento: Preferencialmente, as amostras devem ser armazenadas a -80°C. O armazenamento a -20°C é aceitável desde que respeitado o prazo máximo de 2 meses de estabilidade. Transportar as amostras em gelo seco.
Critérios de rejeição: Material colhido e/ou enviado em tubos que não sejam de polipropileno.
Método: Elisa Innogenetics.
Prazo de entrega: 35 dias úteis.


Bacterioscopia Pela Técnica De Gram

Aplicação: Esse exame é útil para o diagnóstico rápido de meningites bacterianas. A afinidade aos corantes, a morfologia e o arranjo dos microrganismos visualizados podem sugerir algumas espécies bacterianas:
– Cocos gram-positivos aos pares e em cadeias: S. pneumoniae;
– Cocobacilos gram-negativos: H. influenzae;
– Diplococos gram-negativos: N. meningitidis.
– É importante salientar que a cultura tem papel fundamental para a confirmação dessa suspeita, por ter maior sensibilidade.
– Exames para detecção de antígenos bacterianos também podem ser utilizados para o diagnóstico de meningites bacterianas. Embora apresentem sensibilidade semelhante ao método de Gram, são de grande valia para indivíduos em tratamento com antimicrobianos.
Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1 mL.
Método: Microscopia – Exame microscópico direto do material clínico após coloração pelo método de Gram.
Valor de referência: Negativo.
Prazo de Entrega: 24 horas


Bacterioscopia Pela Técnica De Ziehl-Nielsen

Aplicação: Exame microscópico direto após coloração (Ziehl-Nielsen) para pesquisar a presença de bacilos álcool-ácido resistentes (BAAR) no LCR. Pela rapidez do resultado é um exame que pode ser decisivo para o diagnóstico da meningite tuberculosa pela sua elevada especificidade. Entretanto apresenta baixa sensibilidade o que nos obriga a interpretar com cautela resultados negativos. Estes não excluem a presença de microrganismos, os quais poderão ser detectados por cultura ou por técnicas moleculares.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1 mL.
Método: Microscopia – Exame microscópico após coloração de Ziehl-Neelsen, realizado no sedimento do líquor obtido após centrifugação.
Valor de referência:
– Pesquisa negativa.
– Ausência de bacilos alcool-ácido resistentes.
Prazo de Entrega: 1 dia útil.


BK, pesquisa

Aplicação: O exame é útil no diagnóstico das meningites causadas por Mycobacterium tuberculosis. Suas maiores vantagens são a rapidez de execução e o alto valor preditivo positivo. O método, porém, apresenta baixa sensibilidade, inferior à da pesquisa do DNA (PCR para M. tuberculosis) e à da cultura específica.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1 mL.
Método: Microscopia – Exame microscópico após coloração de Ziehl-Neelsen, realizado no sedimento do liquor obtido após centrifugação.
Valor de referência: Pesquisa negativa.
Prazo de Entrega: 3 dias úteis.


Bandas Oligoclonais Por Focalização Isoelétrica E Imunofixação

Aplicação: As bandas oligoclonais estão presentes no liquor de aproximadamente 85% dos pacientes com esclerose múltipla clinicamente definida, mas podem ser observadas também em uma variedade de outras doenças, por exemplo, na panencefalite subaguda esclerosante, na polineuropatia inflamatória e no tumor cerebral. Para diferenciar as bandas oligoclonais decorrentes de gamopatia periférica das que são produzidas localmente, no sistema nervoso central, o soro e o liquor devem ser testados simultaneamente.

Material:
Líquor:
– Colher mínimo de 4 mL de líquor.
– Centrifugar a 2200 g por 10 minutos a 18 ºC.
– Aliquotar 1,0 mL do sobrenadante em 2 tubos plásticos estéreis.
– Enviar em ambiente refrigerado.
Sangue:
– Colher sangue em 1 tubo com gel separador.
– Aguardar 30 minutos.
– Centrifugar a 2200 g por 10 minutos a 18 ºC.
– Aliquotar 1,0 mL em 2 tubos plásticos estéreis.
– Volume mínimo de cada alíquota: 0,5 mL.

Estabilidade da Amostra: Soro ou líquor.
Temperatura ambiente: 8 horas;
Refrigerada (2-8 ºC): 5 dias;
Congelada (-20 ºC): 2 semanas.
Valor de referência: Negativo.
Método: Neuro Imunes – Isoeletrofocalização de LCR e de Soro.
Prazo de Entrega: 17 dias corridos.


Barreira Hematoencefálica

Aplicação: O estudo da barreira hematoencefálica consiste no estabelecimento de quocientes de albumina e de IgG no plasma e no liquor, assim como da síntese diária intratecal de imunoglobulinas. O índice de IgG e a síntese de IgG evidenciam se há imunoprodução local de anticorpos ou se os anticorpos estão presentes no líquido cefalorraquidiano decorrente da permeabilidade da barreira.
O índice de IgG e a taxa de síntese de IgG costumam aumentar em cerca de 90% dos pacientes com esclerose múltipla. Entretanto, a síntese de imunoglobulinas pode se elevar em outras doenças inflamatórias neurológicas, tais como encefalites, neuropatias inflamatórias, neurossífilis e outras infecções do sistema nervoso central.

Material:
Líquor: Colher mínimo de 2 mL de líquor;
Sangue: Colher sangue em 1 tubo com gel separador.
Interferentes:Hemácias e calor alteram a estabilidade do líquor.
Método: As dosagens de albumina e imunoglobulinas no soro e no liquor são feitas por nefelometria. Posteriormente, aplicam-se cálculos matemáticos para a obtenção de índices, quocientes de IgG e albumina e fórmulas de Tourtellotte e Reiber.
Prazo de Entrega: 7 dias úteis

C

Citomegalovírus (CVM)

Aplicação: A utilização de métodos quantitativos permite a avaliação e monitoramento da resposta terapêutica. Considera-se atualmente que a quantificação do DNA do CMV PCR em tempo real possa ser mais sensível e específica do que os testes convencionais mais antigos, como a antigenemia.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 2 ml.
Preparo do Paciente: Não é necessário jejum.
Observações:
– Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
– Em caso de exames anteriores, enviar os resultados obtidos.
Armazenamento: Congelar -20ºC.
Estabilidade: 1 mês congelado.
Metodologia: PCR em Tempo Real.
Prazo de Entrega: 3 dias úteis.


Cloretos

Aplicação: Acompanha as alterações (diminuição ou elevação) dos níveis séricos. Diminuindo na meningite tuberculosa e em outras meningites bacterianas.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1 ml.
Interferentes: Acondicionamento de forma incorreta e amostras hemorrágicas.
Método: Bioquímica – Colorimétrico.
Prazo de entrega: 24 horas.


Citologia Diferencial

Aplicação: A contagem diferencial de células e outros elementos é realizada em todas as amostras de líquido cefalorraqueano. A população celular normal do líquido cefalorraqueano é formada de linfócitos e monócitos. Em processo inflamatórios observamos alterações quantitativas e qualitativas que podem indicar a etiologia da doenças. Nas leucemias e linfomas não Hodgkin realiza-se a pesquisa de blastos em razão da probabilidade de comprometimento das leptomeninges e do SNC nessas doenças, de modo similar ao que ocorre em outras neoplasias malignas. A citologia diferencial por microscopia ótica comum é o padrão-ouro para o exame diferencial de populações celulares no líquido cefalorraqueano.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1ml.
Amazenamento: Não refrigerar por mais de 2 horas (até 8ºC).
Método: Citologia – Exame por microscopia ótica do sedimento preparado por citocentrifugação e corado por corante de Leishman.
Interferentes: Refrigeração por mais de 2 horas, adição de conservantes.
Valores de referência: Até 3 células/mm3 e ausência de eritrócitos. As células encontradas no líquor normal são linfócitos e monócitos, independentemente da idade. Em recém-nascidos com até 30 dias de vidas podemos observar até eritrócitos/ mm3 também com predomínio de linfócitos e monócitos. É frequente observar-se predomínio de monócitos nessa faixa etária e o encontro de macrófagos eritrófagos é compatível com a normalidade.
Prazo de Entrega: 24 horas.


Citologia Global

Aplicação: A contagem global de células, eritrócitos e outros elementos é realizada em todas as amostras de líquor. O aumento no número de células tem importância no diagnóstico de doenças inflamatórias do Sistema Nervoso Central, comprometimento do SNC e meninges por células neoplásicas, meningites de qualquer etiologia, entre outros exemplos. A presença de eritrócitos está relacionado a hemorragias espontâneas ou traumáticas no espaço sub-aracnóide.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1ml.
Armazenamento: Não refrigerar por mais de 2 horas (até 8º C).
Método: Citologia – Contagem em câmara de Fuchs-Rosenthal.
Interferentes: Refrigeração por mais de 2 horas, adição de conservantes.
Valores de referência: Acima de 1 ano até 3 células/mm3e ausência de eritrócitos. Em recém-nascidos com até 30 dias de vida podemos observar até 20 células/mm3.
Prazo de Entrega: 24 horas.


Células Neoplásicas

Aplicação: A contagem diferencial de células, eritrócitos e outros elementos é realizada em todas as amostras de líquor na CRM Liquor. A este exame pode ser acrescentado a pesquisa de células neoplásicas, utilizada no diagnóstico e acompanhamento terapêutico de algumas neoplasias, especialmente nas hemopatias malignas (leucemias e linfomas, neoplasias do sistema monononuclear fagocítico) com comprometimento do SNC, tumores primários do SNC, metástases de tumores de outros sistemas no SNC e em leptomeninges.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 2ml.
Armazenamento: Não refrigerar por mais de 2 horas (8ºC).
Método: Citologia – Exame de sedimento por microscopia ótica preparado por citocentrifugação e corado por corante de Leishman.
Prazo de Entrega: 24 a 48 horas.


Cisticercose - Elisa

Aplicação: A infestação por ovos de Taenia Solium leva à formação de cisticercos na musculatura estriada e sistema nervoso central. A pesquisa de anticorpos no soro e líquor pode ser utilizada de forma complementar ao diagnóstico por neuroimagem. Reações cruzadas com Echinococcus Granulosus e Hymenolepis nana são comuns. Anticorpos podem persistir anos após a morte dos parasitas, não devendo o encontro de sorologia positiva em pacientes com lesões calcificadas ser interpretado como presença de parasitas vivos. Falso-negativos podem ser observados na presença de carga parasitaria baixa, sendo que apenas 28% dos pacientes com lesão cerebral única tem sorologia positiva.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1 mL.
Armazenamento: Até 3 dias refrigerado entre 2 e 8ºC.
Critérios para Rejeição de Amostra: Contaminação com sangue.
Método:Imunologia – Imunoensaio Enzimático.
Prazo de Entrega: 8 dias úteis.


Citomegalovírus - Elisa IGM e IGG


Material: Líquor.
Volume da Amostra: 2 mL.
Armazenamento: Até 7 dias refrigerado entre 2 e 8 ºC.
Critérios para Rejeição de Amostra: Amostras contaminadas com sangue.
Importante: Informar se está grávida e se já fez este exame anteriormente.
Método: Imunologia – Imunoensaio Enzimático.
Prazo de Entrega: 10 dias úteis.


Cultura Bactérias

Aplicação: Este exame é útil no diagnóstico etiológico das meningites bacterianas ou causadas por fungos. Se houver suspeita de contaminação fúngica, o ideal é solicitar também cultura de líquor para fungos. Os agentes desse tipo de infecção são microrganismos que, em geral, podem ser identificados após o cultivo em meios especiais. A cultura é a metodologia de maior sensibilidade para o diagnóstico das meningites bacterianas ou fúngicas, possibilitando, além da identificação do agente, a realização de provas de avaliação da sensibilidade aos antimicrobianos.
Outros testes, como o exame microscópico pelo Gram e a pesquisa de antígenos bacterianos no líquor, são também úteis para o diagnóstico mais rápido, porém com menor sensibilidade.

Material: Líquor.
Volume: 1 mL.
Método: Microbiologia – Cultura em diversos meios apropriados para isolamento de microrganismos (bactérias) causadores de meningites.
Valor de referência: Não houve crescimento de Microrganismos.
Prazo de Entrega: 4 dias corridos.


Cultura, para Fungos

Aplicação: O exame é útil para o diagnóstico de infecções meníngeas por fungos. Nas meningites causadas por Cryptococcus neoformans e por outros fungos, a cultura apresenta sensibilidade superior à da pesquisa direta e deve ser solicitada rotineiramente. A pesquisa direta do antígeno de C. neoformans constitui outra ferramenta diagnóstica importante, com sensibilidade semelhante à da cultura.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1 mL.
Valor de referência: Cultura negativa.
Método: Microbiologia – Cultura em meios apropriados para isolamento de fungos.
Importante: No caso de uso prévio ou atual de antifúngicos, o nome do medicamento tem de ser informado. A administração de antifúngicos não impede a realização da cultura, mas em algumas situações, pode interferir no resultado.
Anotar na solicitação os medicamentos em uso nos últimos 7 dias.
Prazo de Entrega:30 dias corridos.


Cryptococcus Neoformans, Tinta da China

Aplicação: Sua finalidade é a detecção do Cryptococcus Neoformans presentes no LCR. Pela morfologia característica do fungo, a pesquisa direta na amostra com a “tinta da China” (nanquim) permite identificar com alta especificidade sua presença. Além de permitir firmar o diagnóstico de meningite criptocócica, doença com alta prevalência em pacientes portadores de diversos tipos de imunodepressão, os portadores de HIV especialmente. A detecção rápida do antígeno do Cryptococcus Neoformans permite o diagnóstico da meningite criptocócica. A determinação dos títulos desse antígeno permite o seguimento da doença e a avaliação da resposta terapêutica. A sensibilidade do teste é de aproximadamente 95% e a especificidade, de 99%.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1 mL.
Valor de referência: Negativo.
Método: Microbiologia – Pesquisa direta do fungo Cryptococcus Neoformans com contraste de campo escuro em microscopia óptica com “tinta da China”.
Prazo de Entrega: 24 horas.


Cultura Micobactérias

Aplicação: Exame padrão-ouro para detecção e identificação de micobatérias, em especial as pertencentes ao gênero Mycobacterium. Possui sensibilidade superior à técnica de pesquisa do DNA bacteriano e à bacterioscopia pela técnica de Ziehl-Nielsen, embora estas ofereçam resultados com maior rapidez.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1 mL.
Armazenamento: Enviar material colhido recentemente em tubo seco, estéril.
Interferentes: Material acondicionado de forma inadequada.
Valores de referência: Cultura negativa.
Método: Microbiologia – Semeadura em meios de cultura Lowenstein-Jensen por até 60 dias consecutivos.
Prazo de Entrega: Em até 60 dias.


CA 125

Aplicação: Valores aumentados do antígeno carcinoembriônico (CEA) são observados em portadores de tumores originários do epitélio secretor, como os gastrointestinais, principalmente dos cólons. É possível ainda encontrar esse antígeno aumentado em outras doenças intestinais, como colites e inflamações. A indicação principal deste exame é no acompanhamento de portadores de tumores, sobretudo no período pós-cirúrgico, quando uma elevação dos níveis do CEA pode indicar recidiva do tumor e/ou presença de metástases.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 3 mL.
Armazenamento: Até 7 dias refrigerado ou congelado por até 3 meses.
Método: Marcadores Tumorais – Quimioluminescência.
Prazo de Entrega: 10 dias úteis.


CA 15-3

Aplicação: Níveis elevados de CA 15-3 são encontrados em metástases cerebrais de neoplasia de mama. Sua determinação é útil para o diagnóstico e controle evolutivo.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 2 mL.
Armazenamento: Até 3 dias refrigerado entre 2 e 8°C.
Critérios para Rejeição de Amostra: Presença de contaminação bacteriana.
Método: Marcadores Tumorais – Quimioluminescência.
Prazo de Entrega: 9 dias úteis.


CA 19-9

Aplicação: É um marcador tumoral utilizado no câncer de pâncreas. Podendo estar elevado em líquidos císticos, mesmo sem processo neoplásico. É conveniente fazer a dosagem paralela no soro, Não há valores de referência estabelecidos na literatura para dosagem em líquidos corporais.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 2 mL.
Armazenamento: Até 3 dias refrigerado entre 2 e 8°C.
Critérios para Rejeição de Amostra: Presença de contaminação bacteriana.
Método: Marcadores Tumorais – Quimioluminescência.
Prazo de Entrega: 30 dias corridos.

D

Desidrogenase Láctica - DHL

Aplicação: A atividade enzimática da transaminase glutâmica oxalacética (TGO) e da desidrogenase láctica (DHL) no líquor representa aproximadamente metade da encontrada no soro. Quando esta última aumenta, os valores liquóricos pouco se alteram, indicando que tais enzimas possam ter origem cerebral. A maior atividade de TGO e DHL no líquido cefalorraquidiano está relacionada com a elevação da atividade celular e com a presença de sofrimento tecidual celular.

Material: Líquor.
Volume da Amostra: 1 mL.
Armazenamento: Temperatura ambiente: 24 horas; Refrigerada (2-8ºC): 7 dias; Congelada (-20ºC): 1 mês.
Método: Bioquímica – Cinético UV.
Prazo de Entrega: 5 dias úteis.

E

Enterovírus

Aplicação: O Enterovirus (EnV) pertende à família PICORNAVIRIDAE e é adquirido através de transmissão fecal-oral e, de forma menos comum, pela via respiratória. Esses vírus são responsáveis por afetar diversos órgãos do corpo, provocando uma variedade de manifestações clínicas, as quais variam desde doença febril indiferenciada até paralisias graves e permanentes, algumas vezes fatais. A maior parte das infecções por EnV são assintomáticas. Dentre as síndromes clínicas causadas por EnV destacam-se aquelas que afetam o sistema nervoso central, pulmões e coração. Síndromes como poliomielite, meningite, conjuntivite e doenças respiratórias, gastrointestinais e ulcerações de mão, pé e boca são as mais frequentemente associadas ao EnV. O diagnóstico laboratorial considerado padrão ouro é o isolamento viral, contudo demanda tempo (3 a 10 dias) e tem uma sensibilidade de 65 a 75%. Já a técnica de PCR em tempo real é rápida, sensível e específica, otimizando assim o diagnóstico em pacientes com complicações.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2 mL.
Armazenamento: Congelar (-20ºC).
Estabilidade: 30 dias.
Observações: Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em Tempo Real.
Prazo de Entrega: 3 dias úteis.


Epstein-Barr (EBV)

Aplicação: Trata-se de infecção viral extremamente comum. O Vírus Epstein-Barr (EBV) é o principal agente etiológico da mononucleose infecciosa, estando relacionado também a quadros de pneumonites, hepatites, uveítes e alguns tipos de linfomas bem como de carcinoma nasofaríngeo. O Epsten-Barr vírus pertence à família do vírus da herpes, sendo linfotrópico e epiteliotrópico. Embora o EBV infecte mais de 90% da população mundial, raramente é patogênico em indivíduos saudáveis. O EBV é transmitido por contato com secreções corpóreas, principalmente da orofaringe. A maioria dos pacientes é assintomática e, grande parte dos adultos, possui evidência sorológica de infecção prévia. O período de incubação é de 1 a 2 meses e, os pacientes sintomáticos costumam relatar odinofagia, mal-estar, mialgia, febre, fadiga, anorexia, náuseas sem vômitos. Nos portadores com problemas imunológicos, como HIV/AIDS e transplantados, o EBV é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças linfoproliferativas. O EBV também influi na patogênese de várias doenças benignas e malignas, incluindo mononucleose infecciosa, doença de Hodgkin, outros linfomas que não de Hodgkin e carcinoma nasofaríngeo. Os pacientes com doenças relacionadas com EBV têm frequentemente níveis elevados de EBV nas células sanguíneas, no soro ou no plasma. A técnica PCR é um dos métodos mais sensíveis e específico para a detecção desse agente infeccioso e está indicada em casos suspeitos de síndrome de fadiga crônica e após transplantes.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2 mL.
Armazenamento: Congelar (-20ºC).
Estabilidade: 1 mês congelado.
Observações: Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em Tempo Real.
Prazo de Entrega: 3 dias úteis.


Esquistossomose; Imunofluorescência Indireta (IF)


Material: Líquor.
Volume: 2 mL.
Armazenamento: Até 5 dias refrigerado de 2 a 8ºC. Após esse período, congelar a -4ºC.
Critérios de Rejeição:
– Contaminação microbiana;
– Lipemia e hemólise intensa;
– Amostras inativadas pelo calor.
Método: Imunofluorescência Indireta – Substrato Cercaria.
Prazo de Entrega: 05 dias úteis


Eletroforese de Proteínas

Aplicação: Eletroforese de proteínas do líquor em gel de agarose de alta resoluçao, é largamente utilizada na pesquisa de bandas oligoclonais, definidas como duas ou mais bandas discretas na região gama que estão ausentes em eletroforese concomitante realizada no soro. A imunofixação é necessária para caracterizar as bandas como imunoglobulinas específicas. A pesquisa de bandas oligoclonais é um dos critérios laboratorias utilizados como suporte para o diagnóstico de Esclerose Múltipla (EM). Bandas oligoclonais no líquor tem sido identificadas em 83% (gel de agarose de alta resoluçao) a > 95% (isoeletrofocalizaçao) dos pacientes com EM. Devido à maior sensibilidade, a isoeletrofocalizaçao é atualmente considerada o método de escolha para a pesquisa de bandas oligoclonais no líquor. Porém, essa técnica ainda não se encontra disponível na maioria dos laboratórios clínicos. Bandas oligoclonais não são especificas para EM, sendo também observadas em quase todos os casos de panencefalite subaguda esclerosante, em 25 a 50% das infecções virais do sistema nervoso central, nos casos de neuroborreliose, meningite criptocócica, neurosífilis, mielite transvera, carcinomatose meníngea, glioblastoma multiforme, linforma de Burkitt, polineuropatia recorrente crônica, Doença de Behcet, cisticercose e tripanossomíase.
O diagnóstico da esclerose múltipla é realizado com base na presença de manifestações clínicas características. A ressonância magnética, a pesquisa de bandas oligoclonais no líquor e o índice de IgG são exames complementares utilizados como suporte diagnóstico. A pesquisa de bandas oligoclonais no líquor pode ser feira por eletroforese de proteínas em gel de agarose ou isoeletrofocalização. A pesquisa de bandas oligoclonais por eletroforese em gel de agarose deve ser realizada em paralelo a eletroforese de proteínas do soro para avaliar se a banda é de exclusiva produção intratecal (presente somente no líquor) ou se é resultante da passagem do soro para o líquor (presente no líquor e no soro). Uma vez detectadas bandas na região das gamaglobulinas, é necessário confirmar se essa banda é imunoglobulina G, o que só é possível com a realização posterior de imunofixação.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2 mL.
Armazenamento: Até 3 dias refrigerado de 2 a 8 ºC.
Critérios de Rejeição: Amostra contaminada com sangue.
Método: Neuro Imunes – Eletroforese de Alta Resolução em Gel de Agarose após Concentração da Amostra.
Prazo de Entrega: 05 dias úteis


F

G

Glicose

Aplicação: Corresponde a 60% a 70% da concentração plasmática. Valores diminuídos podem ser encontrados nas meningites agudas e crônicas de diferentes etiologias, hipoglicemia sistêmica, hemorragia subaracnóide, sarcoidose e neoplasias que comprometam as meninges.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 ml.
Método:Bioquímica – Enzimático colorimétrico pela glicose-oxidase.
Prazo de Entrega: 24 horas.


Gonadotrofina Coriônica

Aplicação: A gonadotrofina coriônica é um hormônio glicoprotéico produzido pelas células do sinciciotrofoblasto da placenta. Entretanto, alguns tumores de linhagem celular germinativa neural conseguem secretar beta-hCG. Normalmente, a concentração de hCG no líquor é muito baixa, mas pode se elevar com a presença de um tumor ativamente secretor de hCG . Assim, a dosagem de hCG no líquor é usada como um marcador complementar para o diagnóstico de tumores produtores no sistema nervoso central.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 ml.
Armazenamento: Temperatura ambiente: 2 dias; Refrigerada (2 a 8ºC): 1 mês; Congelada (-20 ºC): 1 ano.
Método:Marcadores Tumorais – Ensaio imunofluorimétrico.
Prazo de Entrega: 03 dias úteis.

H

Herpes Simplex 1 e 2 (HSV 1 e 2)

Aplicação: Herpes vírus simplex (HSV) são vírus que se adaptam ao hospedeiro e possuem genoma de DNA bicatenar (dupla hélice), multiplicando-se no núcleo da célula hospedeira, produzindo cerca de 90 proteínas víricas em grandes quantidades. Têm nucleocapsídeo de simetria icosaédrica e envelope bilipidico. Existem dois tipos de virus: herpes simples tipo 1 (HSV-1) e tipo 2 (HSV-2), os quais diferem na epidemiologia mas são fortemente relacionados. HSV-1 está relacionado a doenças orofaciais, enquanto o HSV-2 associa-se a doença genital; entretanto, a localização das lesões não necessariamente indica o tipo de vírus.Aproximadamente, até 80% das infecções por HSV são assintomáticas, sendo que as sintomáticas são caracterizadas por morbidade e recorrência significantes. Em pacientes imunocomprometidos, as infecções podem levar a complicações severas. A prevalência da infecção por HSV tem aumentado nos últimos anos, o que a torna um assunto de grande relevância na saúde pública. A detecção e tratamento precoces são de extrema importância para o controle da doença. HSV pertencem à família Herpesviridiae e à subfamília Alphaherpesviridae e se caracterizam pela neurovirulência, latência e reativação (essa mais comum em imunossuprimidos). A disseminação da infecção pode ocorrer em pacientes imunossuprimidos, como transplantados e HIV/AIDS. Somente seres humanos são reservatórios naturais e nenhum vetor está envolvido na transmissão. O patógeno é transmitido por contato pessoal e a infecção ocorre pela inoculação do vírus em superfície mucosa suscetível (como orofaringe, cérvix e conjuntiva) ou por pequenas lesões na pele. O vírus é inativado imediatamente a temperatura ambiente e, portanto, a transmissão por aerossol e fomites é rara.
As infecções por HSV-1 transmitidas por saliva são comuns em crianças, apesar de gengivoestomatite por herpes ocorrer em qualquer idade. As infecções por HSV-2 são mais frequentes no período perinatal e no inicio da vida sexual ativa. A idade avançada (depois do inicio da vida sexual) e o número de parceiros são fatores associados com a soroprevalência de anticorpos HSV-2. As manifestações clínicas dependem da idade e do sistema imune do hospedeiro, do sítio anatômico envolvido e do tipo de vírus, podendo variar de estomatite a encefalite e herpes neonatal (sendo esses últimos, fatais em 70% casos).
Atualmente, a técnica de PCR é recomendada para o diagnóstico do Herpes, sendo considerado o método “padrão-ouro”.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2ml.
Armazenamento: Congelar (-20ºC).
Estabilidade: 1 mês congelado.
Observações:
– Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
– Em casos de exames anteriores, enviar os resultados obtidos.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em Tempo Real.
Limite de detecção: 285 cópias/ml ou 57 partículas virais.
Prazo de Entrega: 03 dias úteis.


Herpes Vírus 6 (HHV-6)

Aplicação: O Herpes Vírus Humano 6 (HVH-6) é reconhecido como um virus linfotrófico da célula T com grande afinidade pelo CD4. É um beta herpes vírus com 2 variantes, A e B; este último causa a roséola infantil e o tipo A é encontrado principalmente em imunossuprimidos. Contudo, os dois tipos podem ser patogênicos para transplantados e AIDS. A infecção primária por HVH-6 ocorre principalmente em crianças e é a causa mais comum de convulsão febril dos 6 aos 24 anos, sendo raro em adultos imunocompetentes – quando ocorre, manifesta-se com febre, linfadenopatia, hepatite ou encefalite. Depois da infecção primária, o HVH-6 permanece latente até o comprometimento do sistema imune, momento no qual pode ocorrer reativação do vírus (pior prognóstico).

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2 mL.
Armazenamento: Congelar (-20ºC).
Estabilidade: 1 mês congelado.
Observações:
– Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
– Em casos de exames anteriores, enviar os resultados obtidos.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em Tempo Real.
Prazo de Entrega: 07 dias úteis.


Herpes Vírus 7 (HHV-7)

Aplicação: O herpes vírus humano tipo 7 é da família HERPESVIRIDAE e da subfamília BETAHERPESVIRIDAE, gênero ROSEOLOVIRUS. Causa uma doença de pele em crianças – conhecida como exantema súbito – e está associado a diversos outros sintomas como doença respiratória aguda febril, febre, rash, vômitos, diarreia, leucopenia e convulsão febril.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2mL.
Armazenamento: Refrigerado (2 a 8ºC).
Estabilidade: 07 dias refrigerado.
Observações:
– Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
– Em casos de exames anteriores, enviar os resultados obtidos.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR.
Prazo de Entrega: 15 dias úteis.


Herpes Vírus 8 (HHV-8)

Aplicação: A principal característica dos herpes vírus é a habilidade do agente infeccioso permanecer em estado latente em um hospedeiro após a infecção preliminar e ser reativado após a imunossupressão. O HHV-8 está associado ao Sarcoma de Kaposi (KS) e outros linfomas menos conhecido como a doença de Castleman e linfomas de efusão primários. O HHV8 é um vírus DNA encontrado em 100% dos casos de KS. A soro prevalência de anticorpos anti-HHV-8 é baixa na população em geral, mas alta em suscetíveis ao KS. Diferente dos demais herpes humanos, o HHV-8 não tem distribuição ubíqua. O alto índice de reativação, reinfecção ou mesmo infecção primária nos grupos de pacientes com imunodepressão pode causar graves consequências.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1mL.
Armazenamento: Congelar (-20ºC).
Estabilidade: 1 mês congelado.
Observações:
– Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
– Em casos de exames anteriores, enviar os resultados obtidos.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em Tempo Real.
Prazo de Entrega: 05 dias úteis.


HIV-1

Aplicação: Quantificar as partículas de vírus produzidas e lançadas na circulação sanguínea. Útil para avaliar o prognóstico, indicar o momento do início da terapia e para determinar a eficácia do tratamento com antirretrovirais.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: Mínimo de 2ml.
Preparo do Paciente: Não é necessário jejum.
Observações:
– Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
– Em casos de exames anteriores, enviar os resultados obtidos.
Armazenamento: Após a coleta, congelar.
Estabilidade: 06 meses à -20°C.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em Tempo Real.
Faixa dinâmica de detecção: 40 a 109 cópias/ml.
Prazo de Entrega: 06 dias úteis.


Herpes Simples 1 e 2 Elisa

Aplicação: A presença de anticorpos IgM nas duas primeiras semanas de vida estabelece o diagnóstico de infecção congênita, pois na infecção neonatal ou pós-natal em geral os anticorpos levam de duas a quatro semanas após a infecção aparecer. Em outras fases da vida, a detecção de IgM pode estar presente nas recorrências.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 mL.
Armazenamento: Até 4 dias refrigerado entre 2 e 8 ºC.
Critérios de Rejeição: Contaminação com sangue.
Questionário: Informar se esta grávida, se já teve contato e se já fez exame anteriormente.
Método: Imunologia – Imunoensaio Enzimático.
Prazo de Entrega: 08 dias úteis.


Histoplasmose

Aplicação: A pesquisa de fungos é utilizada para diagnóstico rápido das micoses, permitindo imediata administração de medicamentos.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2mL.
– Urina jato médio: 10 mL.
– Urina 1º jato: Colher os primeiros 10 mL da micção.
Armazenamento: Enviar em temperatura ambiente em até 24 horas. Enviar em tubo estéril (Tubo Vacuette).
Critérios de Rejeição: Amostras enviadas de forma inadequada, frasco contendo instrumentos perfurocortantes, estarão sujeitas a não realização do exame.

I

Imunoglobulina A

Aplicação: A dosagem de IgA em líquor não tem grande valor quando realizada isoladamente. O ideal é fazer, concomitantemente, o exame no soro para determinar o índice de IgA ou, de modo mais complementar, dosar também a albumina no soro e no líquor, conhecendo assim o funcionamento da barreira hematoencefálica. Esses testes concomitantes conseguem esclarecer se os anticorpos contra determinado antígeno, presentes no líquor, se originaram de síntese intratecal ou apenas passaram passivamente a barreira hematoencefálica.

Volume de Amostra: 1 mL de líquor.
Armazenamento: Temperatura ambiente: 08 horas; Refrigerada (2-8 ºC): 07 dias; Congelada (-20 ºC): 03 meses.
Método: Neuro Imunes – Determinação quantitativa de IgA no líquor por nefelometria, através de partículas de poliestireno sensibilizadas com anticorpos específicos contra a IgA humana.
Prazo de Entrega: 10 dias úteis.


Imunoglobulina G

Aplicação: A dosagem de IgG em líquor não tem grande valor quando realizada isoladamente. O ideal é fazer, concomitantemente, o exame no soro para determinar o índice de IgG ou, de forma mais complementar, dosar também a albumina no soro e no líquor, conhecendo assim o funcionamento da barreira hematoencefálica. Esses testes concomitantes conseguem esclarecer se os anticorpos contra determinado antígeno, presentes no líquor, se originaram de síntese intratecal ou apenas passaram passivamente a barreira hematoencefálica.

Volume de Amostra: Mínimo de 1 mL de líquor.
Armazenamento: Temperatura ambiente: 08 horas; Refrigerada (2-8 ºC): 07 dias; Congelada (-20 ºC): 03 meses.
Método: Neuro Imunes – Determinação quantitativa de IgG no líquor por nefelometria, através de partículas de poliestireno sensibilizadas com anticorpos específicos contra a IgG humana.
Prazo de Entrega: 06 dias úteis.

J

JC Vírus

Aplicação: Útil no diagnóstico da leucoencefalopatia multifocal progressiva (LEMP), que é causada por infecção pelo JC vírus de oligodendrócitos. A LEMP relacionada à reativação do JC vírus é uma complicação em crescente incidência em pacientes com AIDS. As reações imunológicas para o JC vírus não são úteis, uma vez que a prevalência de anticorpos para o JV vírus não difere muito entre indivíduos doentes e não doentes.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 3mL.
Armazenamento: Até 14 dias congelado.
Limite de Sensibilidade: 600 cópias/mL (Esta técnica tem uma sensibilidade de 95% e uma especificidade de 97%).
Critérios de Rejeição:
– Amostra descongelada.
– Material colhido e/ou enviado em tubo que não o de polipropileno.
Método: Biologia Molecular – Reação em cadeia da polimerase em tempo real.
Prazo de Entrega: 10 dias úteis.

K

L

Lyme (Borrélia Burgdorferi)

Aplicação: A Borrelia burgdorferi é uma bactéria espiroqueta responsável pela doença de Lyme, transmitida por carrapatos (adultos ou ninfas), do gênero Ixodes. Diversas espécies de mamíferos podem ser infectados e o veado é considerado um importante reservatório. A borreliose no Brasil também é conhecida como doença de Lyme-simile. A doença geralmente tem seu início no verão e, as lesões de pele, possuem uma forma de anel em expansão, com uma zona central clara. Febre, calafrios, mialgia e cefaléia são frequentes, podendo ocorrer envolvimento das meninges.O risco de contrair a doença é maior em moradores e frequentadores de áreas rurais endêmicas. Não há profilaxia da doença.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2ml.
Armazenamento: Refrigerado (2° a 8ºC).
Estabilidade: 07 dias refrigerado.
Observações:
– Indicar medicações utilizadas pelo paciente.
– Em casos de exames anteriores, enviar os resultados obtidos.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR.
Prazo de Entrega: 25 dias úteis.


Lactato

Aplicação: A determinação do ácido láctico pode ser útil na diferenciação de meningites por bactérias, fungos ou micobactérias das meningites virais. Nas virais, o nível de ácido láctico raramente excede de 25mg/dL a 30mg/dL. Em contraste, nas outras formas de meningite, costuma estar presente em níveis superiores a 35mg/dL. O aumento do lactato está intimamente associado a baixos níveis de glicose (meningite bacteriana).

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 ml.
Prazo de Entrega: 24 horas.


Líquido Cefalorraqueano

Aplicação: O líquido cefalorraqueano, cefalorraquidiano (LCR), ou líquor, envolve todo o sistema nervoso central, protegendo-o. Em virtude dessa íntima relação, sua análise permite o diagnóstico da maior parte das doenças infecciosas, inflamatórias, neoplásicas e vasculares que acometem a região. A verificação das pressões permite determinar a existência de hiper ou hipotensão intracraniana e de bloqueios à circulação do líquor. Já as doenças inflamatórias e infecciosas costumam ocasionar um aumento do número de células. De acordo com o tipo celular presente, é possível estabelecer o tipo de moléstia. Por sua vez, as neoplasias que atingem o sistema nervoso podem ser diagnosticadas pela presença de células neoplásicas no LCR. A comparação do número e do tipo de células entre vários exames permite acompanhar a evolução do processo. As dosagens de proteínas, glicose, lactato e uréia possibilitam, em conjunto, avaliar o metabolismo cerebral. Essas substâncias têm seus valores de referência alterados de acordo com a enfermidade presente.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 5 mL.
Interferentes:
– Material contaminado com hemácias ou exposto ao calor.
– Material congelado.
– Material manipulado por outro setor.
Importante: Anotar medicamento de uso contínuo.
Valores de referência:
– Aspecto: límpido;
– Cor: incolor;
– Células: 0 a 3 cels/mm3;
– Diferencial: predomínio de linfócitos em adultos e monócitos em recém-nacidos;
– Proteínas totais: depende do local da coleta e faixa etária:
a) Subocciptal: até 30 mg/dL;
b) Lombar: até 40 mg/dL;
– Glicose: de 45 até 85 mg/dL;
– Uréia: até 40 mg/dL;
Lactato:
Neonatal: de 1.1 à 6.7;
Normal: de 1.1 à 2.4.

Método: O exame do líquor compreende:

Exame físico:
Punção lombar ou SOD.
Níveis pressóricos utilizando-se manômetro de Claude (em cm de água).
Aspecto (límpido, turvo ou hemorrágico).
Côr (incolor, xantocrômico ou eritrocrômico).
Provas manométricas (permeabilidade do canal raquidiano).

Exame citológico:
Contagem global (na câmara de Fucs-Rosenthal).
Contagem diferencial (coloração por Leishman após citocentrifugação ou em câmara de Suta).
Citologia oncótica (coloração por Leishman após citocentrifugação).

Exame bioquímico:
Proteínas totais.
Glicose.
Uréia.
Dosagem do lactato.
Prazo de Entrega: 24 horas.

M

Mycobacterium Tuberculosis

Aplicação: A tuberculose é uma doença considerada um problema de saúde pública mundial. É causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis e a detecção direta da micobactéria pela técnica de PCR constitui modalidade diagnóstica sensível, específica e principalmente rápida, posto que outros métodos microbiológicos como a cultura, podem levar vários meses para obtenção do resultado final.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2ml.
Armazenamento: Refrigerar (2 a 8°C).
Estabilidade: 07 dias.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em Tempo Real.
Prazo de Entrega: 06 dias úteis.


Mycobacterium Avium

Aplicação: O complexo MYCOBACTERIUM AVIUM (MAC) consiste de 2 espécies: M. AVIUM e M INTRACELLULARE; por ser difícil diferenciá-las, também são referidas como MYCOBACTERIUM AVIUM INTRACELULAR. MAC é a micobactéria atipica mais relacionada com doença humana. É um patógeno pulmonar que afeta indivíduos imunocomprometidos (como HIV/AIDS, paciente em quimioterapia, leucemia heiry cell). Nesses pacientes, o MAC está associado com osteomielite, tenosinovite, sinovite; e doença disseminada envolvendo o sistema nervoso central (SNC), fígado, baço e medula óssea. MAC é a causa mais comum de infecção por micobactéria não tuberculosa em pacientes com AIDS. M. AVIUM é isolado em mais de 95% dos pacientes com AIDS que desenvolvem infecção por MAC. O acometimento pulmonar por esse complexo é raro em imunocompetentes. As fontes ambientais de MAC são solo, aves, animais de fazenda, sistema de água quente canalizada, poeira e componentes do cigarro (tabaco, papel, filtro). O complexo é transmitido via inalatória para os trato respiratório (TR) e gastrointestinal (TGI). A disseminação da infecção pelo MAC ocorre em pacientes com AIDS e/ou linfoma cujo CD4 está abaixo de 50 células/µL. Em pacientes com AIDS, a colonização do TGI ou TR está associada a maior risco de bacteremia por MAC.
Os sintomas se assemelham aos da tuberculose, incluindo fadiga, perda ponderal e febre. Em geral, a infecção é tratada com 2 ou 3 antibióticos por, pelo menos 12 meses.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 5ml.
Armazenamento: Refrigerado (2º a 8°C).
Estabilidade: 07 dias refrigerado.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em tempo real + hibridização.
Prazo de Entrega: 16 dias úteis.


Mycobacterium Genavese

Aplicação: O MYCOBACTERIUM GENAVESE é um patógeno oportunista, indistinguível clinicamente do COMPLEXO M. AVIUM em pacientes com AIDS; porém, está mais relacionado a infecções do trato gastrointestinal.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 5mL.
Armazenamento: Refrigerado (2º a 8°C).
Estabilidade: 07 dias refrigerado.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em tempo real e hibridização.
Prazo de Entrega: 16 dias úteis.

N

O

P

Pandy

Aplicação: O teste de Pandy é um teste semiquantitativo no qual o fenol reage principalmente com globulinas. Em infecções crônicas como neurossífilis e na esclerose múltipla, a elevação de globulinas torna o teste de Pandy positivo. Contaminação do líquor com sangue pode acarretar falso-positivo.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 mL.
Prazo de Entrega: 03 dias úteis.


Proteínas

Aplicação: A detecção de proteínas no líquor auxilia no diagnóstico da diap de poliradiculopatias, tumores, meningites e obstrução do canal medular.
Aumentada: Meningites, hemorragias, tromboses, alterações endócrinas, metabólicas e tóxicas, doenças neurológicas, colagenoses, tumores e abscessos.
Diminuída: Trauma, grandes punções, aumento da pressão intracraniana.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 ml.
Prazo de Entrega: 24 horas.


Pesquisa de Anticorpos do Vírus HTVL 1 e 2

Aplicação: Os vírus HTLV estão associados à leucemia de células T e a paralisia espástica tropical. Sua triagem em bancos de sangue é obrigatória devido a possibilidade de transmissão após a transfusão. Cerca de 2 a 5% dos infectados podem desenvolver quadros neurológicos ou leucemia vários anos após a infecção. Métodos como ELISA ou CLIA são utilizados como testes de triagem. Falso-positivos podem decorrer de anticorpos anti-HLA e sucessivos congelamentos e descongelamentos das amostras. A confirmação diagnóstica deve ser realizada com o Western blot ou por PCR para HTLV.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 3 mL.
Armazenamento: Até 07 dias refrigerado entre 2 e 8 ºC.
Instruções: O teste imunológico no líquor, deve ser realizado em paralelo com o soro, devido à possibilidade de contaminação do material durante a punção.
Metodologia: Imunologia – Aglutinação.
Prazo de Entrega: 03 dias úteis.


Pesquisa de Anticorpos do Vírus HIV 1 e 2

Aplicação: HIV-1: ENV GP41, GAG P24 E PROTEINA RECOMBINANTE DO SUBTIPO “O”. HIV-2: ENV GP36.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2mL.
Armazenamento: Até 2 dias refrigerado entre 2 e 8 ºC, ou congelado por até 3 meses.
Metodologia: Imunologia – Quimioluminêscencia.
Prazo de Entrega: 14 dias úteis.


Pesquisa pela Aglutinação do Látex

Aplicação: Sua finalidade é a detecção precoce de bactérias presentes no LCR. São pesquisados antígenos capsulares de bactérias etiologicamente implicadas na patogenia de meningites comunitárias. Associado ao exame de bacteriosocopia confere elevada especificidade aos resultados positivos.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 mL.
Interferentes: Material acondicionado de forma inadequada.
Metodologia: Microbiologia – Reação de aglutinação de partículas de látex sensibilizada por anticorpos específicos – Haemofilus influenza; Neisseria meningitidis A, B e C; Streptococcus pneumoniae, Escherichia coli.
Valores de Referência: Pesquisa negativa.
Prazo de Entrega: 24 horas.


Paraneoplásicos, Painel de anticorpos

Aplicação: Painel de autoanticorpos antineuronais para avaliação no líquor (LCR) para quadros clínicos neurológicos sugestivos de Síndrome paraneoplásica (encefalopatia e encefalite límbica, ataxia cerebelar, mielopatia, radiculopatia, plexopatia, neuropatia sensorial e motora, neuropatia craniana não estão relacionados a metástases e que possuem provável etiologia autoimune). A avaliação sorológica é preferível, entretanto nos autoanticorpos CRMP-5 podem ser positivos apenas no LCR.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 5mL.
Armazenamento: Temperatura ambiente: 72 horas; Refrigerada: 14 dias; Congelada: 28 dias.
Metodologia: Marcadores Tumorais – Imunofluorescência indireta: ANNA-1; ANNA-2; ANNA-3; AGNA-1; PCA-1; PCA-2; PCA-Tr; anticorpos anfifisina; CRMP-5-IgG.
Valores de Referência:
ANNA-1: Negativo (Inferior a 1/2).
ANNA-2: Negativo (Inferior a 1/2).
ANNA-3: Negativo (Inferior a 1/2).
AGNA-1: Negativo (Inferior a 1/2).
PCA-1: Negativo (Inferior a 1/2).
PCA-2: Negativo (Inferior a 1/2).
PCA-Tr: Negativo (Inferior a 1/2).
Anfifisina, anticorpos: Negativo (Inferior a 1/2).
CRMP-5, IgG: Negativo (Inferior a 1/2).
Anticorpos contra o receptor de NMDA: Negativo.
Prazo de Entrega: 30 dias corridos.


Proteina 14.3.3

Aplicação: Doença de Creutzfeldt-Jakob, Nesta técnica, a sensibilidade em doentes com suspeita de enfermidade de Creutzfeldt-Jakob esporádica é de 91% e a especificidade de 85%.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2mL.
Armazenamento: Até 7 dias refrigerado entre 2 e 8 ºC, ou congelado por até 3 meses.
Questionário: É obrigatório o preenchimento do questionário disponbilizado via e-mail.
Metodologia: Imunoblot.
Prazo de Entrega: 50 dias úteis.

Q

R

S

Sífilis, Hemaglutinação (HA)

Aplicação: A Sífilis é uma doença complexa, geralmente transmitida sexualmente. O TREPONEMA PALLIDUM é o agente causador da doença, a infecção é geralmente diagnosticada através da detecção de anticorpos específicos para o T. PALLIDUM no Líquor de pacientes. Os anticorpos são detectáveis a partir da 3ª a 4ª semana subsequente ao contato com o microrganismo, e podem permanecer em níveis detectáveis por longos períodos após o tratamento.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 ml.
Metodologia: Imunologia – Hemaglutinação passiva.
Prazo de Entrega: 03 dias úteis.


Sífilis, VDRL

Aplicação: O diagnóstico de neurossífilis, ou neurolues, deve considerar o quadro clínico, a existência de um maior número de células no liquor, o aumento de proteínas e a presença de reações imunológicas positivas que indiquem a imunoprodução intratecal de imunoglobulinas antitreponema. O VDRL é um teste imunológico não-treponêmico que utiliza um antígeno da cardiolipina para detectar anticorpos reagentes. Sua sensibilidade chega a 60% e sua especificidade, a 100%. Assim, um resultado positivo é altamente específico para neurossífilis, embora haja uma porcentagem elevada de falso-negativos. Após o tratamento, títulos baixos de anticorpos podem ser detectados por algum tempo, seja indicando cicatriz imunológica, seja representando apenas a passagem de anticorpos séricos para o liquor. Contudo, o VDRL, se positivo no diagnóstico, deve se tornar negativo após a terapêutica.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 ml.
Metodologia: Imunologia – Venereal Disease Research Laboratory (VDRL).
Prazo de Entrega: 03 dias úteis.


Sífilis, Imunofluorescência (IF)

Aplicação: Na sífilis primária os teste VDRL e FTA-ABS (imunofluorescência indireta) positivam-se depois do cancro duro, com sensibilidade de 85%. Na sífilis secundária a sensibilidade da sorologia é de 99%. Na sífilis terciária, VDRL tem sensibilidade de 70% e FTA-ABS de 98%. VDRL: teste não treponêmico, utiliza como antígeno a cardiolipina que normalmente ocorre no soro em níveis baixos e apresenta-se elevado na sifilis. O VDRL é uma reação de floculação, apresentando alta sensibilidade e baixa especificidade. Torna-se positivo duas semanas após o cancro. Falso-negativos podem ocorrer na sífilis tardia. Entre 1 e 40% dos resultados de VDRL são falso-positivos: idosos, portadores de doenças auto-imunes, malária, mononucleose, brucelose, hanseníase, hepatites, portadores HIV, leptospirose, viciados em drogas, outras infecções bacterianas, vacinações e gravidez. Falso-positivos mostram títulos em geral ate 1:4, mas títulos maiores podem ser encontrados. Na avaliação do tratamento observa-se que na sífilis primária e secundaria, os títulos caem cerca de quatro vezes em três meses e oito vezes em seis meses, negativando-se em um a dois anos. A persistência de títulos elevados ou a não redução em quatro vezes dos títulos, após um ano de tratamento, pode indicar novo tratamento. Resultados positivos de VDRL no líquor são encontrados em 50% a 60% dos casos de neurosífilis, com especificidade em torno de 99%. Após tratamento, títulos caem entre três e seis meses, podendo demorar anos para negativarem. Linfocitose e aumento das proteínas são evidências de neurosífilis ativa. Testes treponêmicos: Os testes de imunofluorescência (FTA-ABS) apresentam especificidade entre 96 e 99%. Menos de 1% dos indivíduos saudáveis tem FTA-ABS positivo, porém falso-positivos podem ocorrer em doenças auto-imunes, gravidez, hanseníase, malaria, mononucleose, leptospirose e infecções por outros treponemas. O imunoensaio enzimático tem estreita correlação com os resultados do FTA-ABS, apresentando como vantagem maior reprodutibilidade.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 mL.
Armazenamento: Até 03 dias refrigerado entre 2 e 8 ºC.
Critérios de Rejeição: Contaminação com sangue.
Metodologia: Imunologia – Imunofluorescência Indireta.
Prazo de Entrega: 11 dias úteis.

T

Toxoplasma Gondii

Aplicação: O Toxoplasma gondii é um protozoário do filo Apicomplexa, de ciclo de vida facultativamente heterogêneo, tendo os felinos como hospedeiros definitivos, enquanto que outras espécies de mamíferos e as aves funcionam como hospedeiros intermediários. Nos humanos, o resultado da infecção varia de doença assintomática a doença severa. A infecção assintomática pode ocorrer na forma congênita ou por ingestão de material infectado em imunocompetentes, sendo que na infecção congênita e em imunossuprimidos, a forma severa é mais frequente.
A linfoadenite é a forma clínica mais comum, com 3 a 7% causando linfadenopatia clinicamente significante, particularmente, linfadenopatia cervical. Nos locais de linfoadenopatia podem ser encontrados linfonodos únicos ou múltiplos, não endurecidos e menores de 3cm de diâmetro. Essa forma clínica pode ser acompanhada de sintomas inespecíficos como cefaléia, mal-estar, fadiga, dor de garganta e mialgia. Sistemicamente, em casos mais severos, pode ocorrer necrose pulmonar, miocardite, hepatite e retinocoroidite. A forma mais severa de toxoplasmose ocorre em HIV positivos ou em imunocomprometidos devido quimioterapia ou trasplantados. O risco de toxoplasmose congênita é menor no primeiro trimestre de gestação e maior no último trimestre, apesar de clinicamente mais severa quando adquirida no primeiro trimestre. Os resultados da infecção congênita são variáveis, de aborto espontâneo a natimorto. Os sinais clássicos de toxoplasmose congênita incluem hidrocefalia ou microcefalia, calcificações cerebrais e coriorretinite.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2ml.
Armazenamento: Congelar (-20ºC).
Estabilidade: Líquor: 1 mês congelado.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR.
Prazo de Entrega: 03 dias úteis.


Toxoplasmose; Imunofluorescência Indireta (IGG e IGM)

Aplicação: A sorologia para Toxoplasmose é o método mais utilizado no diagnóstico desta doença. Entretanto, não existe nenhum teste, que de forma única, suporte ou afaste o diagnóstico de infecção recente ou tardia. Assim, a análise do resultado deve ser cautelosa. Anticorpos IgG surgem em 1 a 2 semanas com pico em 1 a 2 meses; caem variavelmente podendo persistir por toda vida. Valores elevados com IgM negativo não significam maior probabilidade de infecção recente. Anticorpos IgM surgem em 5 dias, diminuindo em poucas semanas ou meses. Podem persistir por até 18 meses, não significando necessariamente infecção recente. Um resultado de IgM negativo ou positivo na gravidez não diagnostica ou afasta infecção aguda, sendo necessário complementação diagnóstica. O IgM Não ultrapassa a placenta, sendo útil no diagnóstico da infecção congênita em recém-nascido. Anticorpos IgA são detectados em infecções agudas e na doença congênita. Podem persistir por meses, até mais de 1 ano. Maior sensibilidade que IgM na infecção congênita.

Teste de Hemaglutinação: útil para indicar prevalência, mas não para o diagnóstico de infecção neonatal ou quadro recente em gestante, devido à possibilidade de falsos-positivos. Detecta anticorpos mais tardiamente que a imunofluorescência e que os testes imunoenzimáticos.

Imunoensaio enzimático IgA: detectada na infecção recente, permanecendo elevada por, no mínimo, 26 semanas. Não atravessa a placenta e não é absorvida pelo leite materno, tendo, pois, utilidade no diagnóstico de Toxoplasmose congênita. Apresenta sensibilidade de 83,3% e especificidade de 94% em crianças com toxoplasmose congênita durante os doze primeiro meses de vida. No primeiro mês de vida, a combinação de IgA e IgM melhora o desempenho dos ensaios em relação aos mesmos de forma isolada.

Imunoensaio enzimático IgM: trata-se de método totalmente automatizado, preciso, rápido e de alta reprodutibilidade. Apresenta especificidade de 98% e sensibilidade de 95%. Por tratar-se de método sensível, pode permanecer detectável até dois anos após a infecção aguda. Um único resultado positivo não pode ser considerado patognomônico de toxoplasmose recente. Conforme orientação norte-americana do FDA, resultados positivos requerem confirmação por uma forma alternativa de ensaio, como ELFA, e coleta de nova amostra após 3 semanas.

Imunoensaio enzimático IgG: esse método apresenta especificidade de 98% e sensibilidade de 96%. Independente do nível de anticorpos, não pode predizer se a infecção é recente ou tardia. Alto índice de positividade na população brasileira.

Enzyme Linked Fluorescent Assay (ELFA) IgM – captura: método automatizado, de grande reprodutibilidade, que elimina as interferências do fator reumatóide. Devido à sua alta sensibilidade, pode detectar níveis baixos de anticorpos por longos períodos após fase aguda (18 meses). Útil para confirmação de IgM positivo em outros ensaios. Apresenta sensibilidade de 100% e especificidade de 98,6%. Em pacientes imunocomprometidos resultado negativo desse teste não exclui o diagnostico de toxoplasmose.

Enzyme Linked Fluorescent Assay (ELFA) IgG: títulos altos não predizem, de forma isolada, infecção recente. Apresenta sensibilidade de 98,1% e especificidade próxima a 100%.

Teste de Avidez IgG (Imunoensaio enzimático): na fase aguda anticorpos IgG liga-se fracamente ao antígeno (baixa avidez). Na fase crônica (> 4 meses) tem-se elevada avidez. É indicado para mulheres grávidas, principalmente no primeiro trimestre, que apresentam IgG e IgM positivos. A detecção de anticorpos de alta avidez em pacientes com IgM positivo indica infecção adquirida há mais de 4 meses. Tratamento anti-parasitário pode manter a baixa avidez por mais de 4 meses. Estudo em amostra brasileira evidenciou ser o teste de IgG avidez o melhor marcador de infecção aguda em pacientes com IgM positivo.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2 mL.
Armazenamento: Até 72 horas refrigerado entre 2 e 8 ºC.
Critérios de Rejeição: Amostras contaminadas com sangue.
Metodologia: Imunologia – Imunofluorescência Indireta.
Prazo de Entrega: 08 dias úteis

U

Uréia

Aplicação: Níveis aumentados de uréia refletem simplesmente níveis aumentados no soro sanguíneo. É de utilidade prática por fornecer pistas para o diagnóstico de possíveis alterações metabólicas do SN.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 1 ml.
Metodologia: Bioquímica – Enzimático.
Prazo de Entrega: 24 horas.

V

Varicela Zoster

Aplicação: O Vírus VARICELA ZOSTER (VZV) é o agente etiológico da Varicela (catapora) e do Herpes zoster. Após a primo-infeçcão, o VZV permanece latente nas raízes nervosas sensoriais por toda a vida. Quando ocorre reativação, o vírus migra para a pele, causando uma erupção cutânea dolorosa que pode seguir o trajeto de um dermátomo. Após a resolução do quadro, alguns indivíduos podem continuar apresentando dor. Além disso, a reativação do VZV pode levar a um largo espectro de manifestações clínicas atípicas, desde dor radicular autolimitada a acometimento do sistema nervoso central com fraqueza.
As manifestações clínicas incluem dor e parestesia inicialmente, com posterior erupção vesicular. Durante a doença aguda, 90% dos pacientes apresentam dor, 20% descrevem depressão e 12% tem sintomas influenza-like. Pacientes imunocomprometidos podem apresentar a evolução desfavorável com infecção disseminada, pneumonite, hepatite e encefalite.

Material: Líquor.
Volume de Amostra: 2mL.
Armazenamento: Congelar (-20°C).
Estabilidade: 1 mês congelado.
Metodologia: Biologia Molecular – PCR em Tempo Real.
Prazo de Entrega: 03 dias úteis.

W

X

Y

Z